CULTURA

Uma Fraude Chamada Europa

uma fraude chamada europa

Uma Fraude Chamada Europa

 

A enorme tragédia do sonho

Sobre os ombros curvados dos escravos

Um olhar calmo

Sem nem uma lágrima

Sei que não estou sozinho

E por isso vos digo

Aquilo de onde partis não é o caminho!

 

Na brancura do trilho que desdenhais

Pétalas de rosas brancas

Lancinantes

Penetradas pelo vento…

No entanto os jardins continuam a florir!

 

O velho jardineiro

Acostumado à alternância das Estações

Olha como os campos estão mudados

E o tempo mais favorável à medrança

Das ervas daninhas

 

No entanto tem ainda a mesma cor

O céu que Sócrates olhou no Pireu

Antes de beber a cicuta

E como então os Meletos se vendem

À mesma casta de filhos da puta!


Tivessem os vermes comidos o novilho morto…

Evitando o fedor

E nós beberíamos pura

Nas fontes a água das nascentes

Seguindo a corrente

Escavando o leito de um rio azul.

O grande périplo

Traz destroços de sonhos mortos à nossa costa

Lúcifer brinda com Merkel...

E o Banco Central

Inaugurou (em Rá…) mais uma sucursal!...

José Cruz

Partilhar
Está em... Home Cultura Uma Fraude Chamada Europa