Brexit – o exagero de uma morte anunciada!

No debate promovido pela RTP e pela RTP 3,  no passado dia 13 de Maio, à noite, o cabeça de lista às eleições para o Parlamento Europeu do PCTP/MRPP, Luis Júdice, afirmou que o Brexit só poderia ser entendido no quadro da guerra inter- imperialista que, apesar de ainda se encontrar em fase larvar, já está em curso.

 

commonwealthNa altura, Luis Júdice assinalou que não era por acaso que o processo da saída do Reino Unido da UE estava a ser liderado por várias forças da direita e da extrema-direita daquele país, pois são as forças que melhor representam os interesses dos grandes monopólios e do imperialismo britânico, apostados em fazer vingar a sua posição na mesa da divisão dos despojos dessa guerra imperialista em preparação.

 

O candidato do PCTP/MRPP demonstrou que tal processo nada tinha a ver com a exigência que o PCTP/MRPP faz de que Portugal saia da UE e do euro - Quer quanto à natureza de classe, quer quanto aos objectivos que cada realidade política apresenta. Enquanto nós defendemos que a saída de Portugal da UE e do euro, ademais, nos retira do cenário de guerra inter-imperialista a que o directório alemão quer associar o nosso país, o Reino Unido, com o Brexit, pretende precisamente o contrário. Reorganizar as suas forças, de forma autónoma, a fim de estar em melhores condições no eventual processo de partilha de despojos do pós-guerra.

 

Luis Júdice fez questão em  demonstrar que com o Brexit, o Reino Unido deixou claro que  não está mais interessado em partilhar o poder e as decisões quanto à geoestratégia mundial  a prosseguir, sobretudo com o chamado eixo franco-alemão que nunca deixou de ser um dos seus principais concorrentes no teatro mundial.

 

O nosso cabeça de lista explicitou, ainda, numa das suas intervenções nesse debate, que o Reino Unido imperialista tinha um trunfo que não estava disposto a partilhar com quem domina a UE. Um trunfo que se chama Commonwealth, um mercado ao qual se associaram 53 países, num total de 2,4 mil milhões de habitantes, com um Produto Interno Bruto de 10 mil milhões de dólares. Neste grande mercado pontificam, para além do próprio Reino Unido– que o lidera através da sua casa real – países como a Índia, a Austrália, o Canadá e a África do Sul, entre muitos outros (ver quadro anexo).

 

Como não houve oportunidade, no supracitado debate, para explanar mais números que nos façam perceber melhor o que está em causa, e com o propósito de fazer gelar o riso de alguns palhaços que fizeram esgares de reprovação às afirmações produzidas pelo nosso camarada Luis Júdice, avançamos com alguns números, bastante significativos e paradigmáticos, relativos ao PIB de 2018:

 

  1. O PIB da UE a 28 (que inclui, ainda, o Reino Unido) foi de 15.300 mil milhões de euros
  2. O PIB da UE a 27 (o que exclui o Reino Unido) foi de 12.678 mil milhões de euros (o valor do RU no PIB da UE a 28, foi de mais de 17%)
  3. O PIB do mercado da Commonwealth, liderado pelo Reino Unido foi de 10.000 mil milhões de dólares
  4. O PIB dos EUA foi de 17.700 mil milhões de dolares
  5. O PIB da China foi de 11.360 mil milhões de dólares

 

Anunciar a morte, política, económica, financeira e social do Reino Unido é, pois, exagerada! E comparar os objectivos da direita conservadora britânica com os da exigência da saída da UE e do euro protagonizada pelo PCTP/MRPP – único partido, em Portugal, a defendê-lo sem papas na língua – é uma manobra imbecil de induzir o medo, manobra que não terá qualquer sucesso! 

Partilhar
Está em... Home EUROPEIAS 2019 Brexit – o exagero de uma morte anunciada!