Partido

 

Parabéns, Assobiador!

 

   Arnaldo Matos

 

 

   O Assobiador é um chaparro…

Sim, um chaparro alentejano; e, neste caso concreto, o mesmo e exacto sobreiro que ganhou ontem, num certame europeu realizado em Bruxelas, no Dia Internacional da Árvore, o galardão de Árvore Europeia do Ano 2018.

sobreiro1

Aliás, sabia-se já, certificado pelo Livro Guinness dos Recordes, que era o maior sobreiro do mundo: 16,2 metros de altura; 5,24 metros de perímetro de base; e 29,4 metros de diâmetro de copa. E também se sabia já, desde 1988, quando foi declarada árvore de interesse público por um dos primeiros governos constitucionais, que o Assobiador se plantara em Águas de Moura, em Palmela, bem dentro do Alentejo, em 1784, cinco anos antes da Tomada da Bastilha e da Grande Revolução Francesa Burguesa de 1789.

Muito embora já instituído na Grã-Bretanha e na Escócia de Cromwell, a verdade é que o modo de produção capitalista foi instaurado em França cinco anos depois de o anónimo camponês de Águas de Moura, antecipando gestos que se vieram a tornar ontem obscenos nas mãos de Marcelo e Capoulas, em Pedrógão, já estava mais do que preparado para intrometer na terra alentejana o Assobiador dos nossos dias.

Estudados e classificados mais tarde por Linneu, os chaparros, incluindo o nosso Assobiador, chamam-se agora Quercus suber, na taxonomia das plantas, descrevendo-se assim com duas palavras apenas os milhões de anos de evolução que levaram a natureza a inventar para os carvalhos uma capa de sobreiro que os permitisse escapar dos incêndios de Verão.

O mesmo longo tempo que levou aliás a entalhar o Oceano Atlântico entre a Europa e a África, de um lado, e as três Américas, do outro. É por essas e por outras razões que não há sobreiros nas Américas.

O Assobiador ganhou o nome popular devido ao gorjeio permanente das centenas de pássaros das mais diversas espécies que se servem do sobreiro como casa, e nela chilreiam, cochilam e cantam os seus inigualáveis concertos de amor e de luta.

No certame online de Bruxelas votaram 186 mil pessoas na escolha do Assobiador, mais 22 mil votos do que a árvore que ficou em segundo lugar, um ulmeiro espanhol. Em terceiro lugar, classificou-se um carvalho russo, com 22 mil votos em números redondos

Descobri o Assobiador em 1972,em Águas de Moura, quando também era lá conhecido como o sobreiro dos namorados. Dada a política de destruição sistemática do sobreiro, por substituição de espécies mais rentáveis, só por milagre o Assobiador terá chegado até aos dias de hoje.

Mas ele aí está, imponente e sólido, combativo e desafiador, tal como um chaparro que se preza…

 

22MAR18

Partilhar
Está em... Home Partido Parabéns Assobiador