Partido

PORTUGAL FORA DA NATO!
DISSOLUÇÃO IMEDIATA DA NATO!


Ocorreu no passado dia 4 de Abril o 70º aniversário da assinatura do Tratado do Atlântico Norte, que instituiu, no ano de 1949, a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) ou, em inglês, a North Atlantic Treaty Organization (NATO).

Em Washington, na reunião do Conselho do Atlântico Norte, realizada naquele dia para assinalar o acontecimento e que foto 2 1juntou os ministros dos negócios estrangeiros dos restantes 28 países que integram actualmente a NATO (em 1949, os fundadores, entre os quais Portugal, foram 12), a administração norte-americana, através do seu secretário de estado Mike Pompeo, aproveitou para definir, perante os seus lacaios menores, o papel estratégico actual desta organização, no contexto da guerra inter-imperialista em preparação.


No final, na conferência de imprensa que se seguiu, coube primeiro ao palhaço actual secretário-geral da NATO, Jens Stolyenberg, ensaiar alguns ataques a Putin e manifestar um tímido apoio formal à Geórgia e à Ucrânia (seremos equilibrados e coordenados; não temos nenhuma intenção de deslocar mísseis nucleares para a Europa), em guerras já dadas por perdidas pelos ianques e o imperialismo germânico .

E até porque não é neste palco nem contra este adversário que os imperialistas americanos sabem que se irão verdadeiramente confrontar.

Na verdade, o seu inimigo principal, que foi agora de novo expressamente apontado por Mike Pompeo nas declarações prestadas na mesma conferência de imprensa, é evidentemente a China e a guerra será planetária, sendo que os imperialistas americanos precisam de evitar a todo o custo que os chineses prossigam a sua estratégia de ir ocupando posições na Europa, designadamente, através da Nova Rota da Seda e da penetração da nova tecnologia 5G da gigante electrónica Huawei.

A NATO foi desde o início e nunca deixou de ser o instrumento militar exclusivamente ao serviço dos interesses expansionistas, agressores e hegemónicos do imperialismo americano na disputa, até à década de 90 do século passado com o social-imperialismo revisionista soviético, pelo domínio das nações e pela exploração dos operários e trabalhadores do mundo inteiro.

Foi através desta organização e com o apoio de países imperialistas menores seus lacaios, como Portugal, que os Estados Unidos da América levaram a cabo e têm prosseguido guerras sanguinárias de agressão e ocupação de vários países e perpetraram hediondos crimes contra os respectivos povos oprimidos.

Foi com a NATO que Salazar e Caetano contaram na guerra contra os povos das colónias e foi com a deslocação de uma esquadra da NATO para Lisboa que os ianques procuraram intimidar a luta dos operários e dos comunistas do MRPP a seguir ao 25 de Abril, tendo na altura os marines americanos sido recebidos com cravos pelos social-fascistas do PCP.

Com a queda dos regimes social-imperialistas e a dissolução do Pacto de Varsóvia, congénere da Nato, deixaria de se justificar a continuação da organização militar imperialista constituída pelos americanos.

Só que a razão de ser da sua existência não se reduzia à disputa com o bloco social-imperialista pelo domínio do planeta, mas acima de tudo à repressão da luta da classe operária e dos movimentos revolucionários e proletários que em cada país e no mundo se organizavam para derrubar o capitalismo e combater o imperialismo.

Por isso mesmo, a NATO, de uma organização pretensamente de defesa dos países capitalistas do Atlântico Norte, passou a estender a sua acção agressora a outros mares e continentes, onde os interesses económicos e estratégicos dos imperialistas ianques se sintam ameaçados pela luta dos povos colonizados, agora tendo em conta a sua nova e única inimiga a nível mundial, a superpotência China.

Para o lacaio Marcelo, é isto que significa a NATO (leia-se o imperialismo americano) ter assumido uma visão a 360 graus (invasão e guerra do Iraque, Afeganistão, Síria) entendido os novos desafios do leste europeu (bombardeamento de Belgrado, guerra do Kosovo...); sabido apreender a sensibilidade a questões comerciais, energéticas (a guerra comercial com a China..) ...

Mas o presidente da República não ficou por aqui no discurso que proferiu na cerimónia militar comemorativa dos 70 anos do Tratado da Aliança Atlântica a que presidiu em Lisboa, e onde não seria de estranhar se víssemos a seu lado deputados do PCP e do BE que, como se sabe, incluíram no seu acordo para a maioria parlamentar o respeito pelos compromissos internacionais de Portugal, entre os quais União Europeia e NATO.

Para além de assumir caninamente que o povo português deve pagar ainda mais para participar nas invasões e agressões foto 1imperialistas americanas (os contribuintes portugueses estão já a ser obrigados a desembolsar anualmente cerca de 3 mil milhões de euros em despesas militares para a NATO), Marcelo chegou ainda a um descabelado despudor de achar que a NATO serve para fazer valer princípios e estratégias para um mundo mais livre, mais justo, mais aberto, mais respeitador da dignidade da pessoa e dos seus direitos – é de mais!!

Marcelo porta-se como um antipatriota e reaccionário acabado e deve ser responsabilizado, juntamente com Costa e todos os partidos parlamentares, por arrastar o país e o povo português para uma guerra mundial imperialista.

Ao contrário do que proclamou no final do seu discurso, lambendo as botas de Trump, não é o Portugal democrático (que) diz presente e pronto na Aliança Atlântica; são tão só os fascistas e lacaios menores sem vergonha que dizem presente e pronto ao servilismo mais nauseabundo a um imperialismo que tem os seus dias contados.

A classe operária, o povo português, os comunistas e todos os patriotas e democratas são pela saída de Portugal da NATO e pela dissolução desta e de qualquer outra organização militar imperialista.

O povo português nunca mais pode aceitar ser carne para canhão de mais nenhuma guerra inter-imperialista!

PORTUGAL FORA DA NATO!

REGRESSO IMEDIATO DE TODOS OS MILITARES ENVOLVIDOS EM OPERAÇÕES EM TERRITÓRIOS ESTRANGEIROS!

6ABR19 


Paulo

Partilhar
Está em... Home Partido PORTUGAL FORA DA NATO! DISSOLUÇÃO IMEDIATA DA NATO!