CampanhaFundos202206

IBAN PT50003502020003702663054   NIB 003502020003702663054

painelinscreve 01

 

Internacional

A guerra da burguesia mundial na Ucrânia

A contra-revolução burguesa traveste-se, em desespero!

Tudo faz para justificar como revolução a liquidação brutal que promove em todo o lado e a propósito de tudo, numa conflitualidade e mistificação cada vez mais odiosas às populações em luta pela vida e em fuga mundial à fome, à liquidação e à guerra.

À promoção que a burguesia faz da brutalidade soma-se a insidiosa promoção da indiferença.

Ler mais


Um perigoso desenvolvimento esperado da guerra imperialista em curso

O “roberto” Jens Stoltenberg afirmou, quinta-feira passada, que a NATO acolheria a Suécia e a Finlândia "com os braços abertos" caso apresentassem a sua candidatura de adesão à organização, uma decisão que, segundo o que os seus manipuladores lhe mandaram dizer, dependeria só desses dois países.

Ler mais


 Crimes de guerra e psico-guerra (1)

O mote

VasilyBykovAs primeiras notícias da resposta ucraniana à invasão russa davam conta, através de uma gravação áudio, de que um grupo de 13 marinheiros ucranianos, colocados na defesa da ilha de Zmiiny, perante o ultimato russo para que se rendessem responderam "navio de guerra russo, vão-se lixar". Houve até um comentador “especialista em questões russas” e com base em “informações, obtidas de fontes locais, quase certas mas ainda não totalmente confirmadas”, a dar conta de que os russos haviam fugido com o rabo entre as pernas e que nem sequer tinham evitado o afundamento do navio, tudo isto devido à coragem e inteligência dos marinheiros ucranianos e apesar dos fraquíssimos meios de que dispunham.  Era o David a derrotar o Golias.

Ler mais


Comentário relativo à situação na Ucrânia

 O acordo em 1989 era que a NATO não se expandisse para além da Alemanha – o partido democrata americano quebrou tudo!

A "União Europeia é a guerra" já alguém dizia isso.

Eu, quando conheci Arnaldo Matos em 31 de Janeiro de 2015 na manifestação "não tap os olhos", no aeroporto, uma das coisas que comentei [a respeito da situação política mundial e na Ucrânia foi] “voltámos a 1914" para lembrar que a I Guerra Mundial começou nos Balcãs [com um acontecimento que parecia não ir desencadear uma guerra mundial].

Ler mais


O Imperialismo, a Guerra  e a Partilha do Mundo

Ler


A propósito dos acontecimentos em Cuba

Ler


OS JOVENS DESEJAM ACABAR COM O CAPITALISMO, E MUITO MAIS...   

Ler


As Represálias que se Seguem à Derrota Militar de Israel

 Ler


A crueldade é um lamentável efeito secundário

Ler


          Mundial de 2022 - Catar    Ler




Política geral

O Orçamento do Estado para 2022:
um Orçamento a Favor da Guerra!

O capital migra para onde progride.

Espoliação e concentração é origem e resultado da progressão do capital.

Espoliação internacional das massas trabalhadoras, pois o capital galga todas as fronteiras. E espoliação imperialista, pois a concentração também tem nacionalidade.

Assim, corresponde à progressão do capital acrescida proletarização das populações, independentemente da sua etnia, cultura ou nação, assim como, e em simultâneo, exacerbação nacionalista nas potências imperiais.

Ler mais


Viva o 1.º de Maio!

 A Luta da Classe Operária pela sua Emancipação!

O 1.º de Maio é um dia de luta, de luta dos trabalhadores

A escolha do dia 1.º de Maio como data representativa da luta dos trabalhadores contra a classe que a oprime e explora, contra a escravidão assalariada, contra o capital corresponde a uma decisão do Congresso Socialista Internacional realizado a 14 de Julho de 1889, em Paris, e comemorou-se internacionalmente, pela primeira vez, em Maio de 1890 em homenagem aos mil e quinhentos operários de Chicago, que no dia 1.º de Maio de 1886, numa movimentação mais ampla que englobou mais de 350 000, se reuniram em luta pela jornada de trabalho de 8 horas e foram massacrados, seguindo-se a prisão de um grupo de dirigentes operários, após a explosão de uma bomba lançada por um provocador da polícia durante um comício de protesto.

Ler mais


Parlamento burguês, governo e presidente da República de joelhos perante o imperialismo americano

 A via nunca poderá ser apoiar um imperialismo para combater o outro!

Numa posição de completa subordinação, submissão e obediência servil, todos os órgãos do poder e seus representantes cumpriram o ritual pré-estabelecido e foram ao beija-mão virtual de Zelensky, o alter-ego de Biden, prestando, desse modo, vassalagem e todo o apoio ao imperialismo americano, à NATO, ao imperialismo europeu, concordando e assinando a vinculação nacional à terceira guerra mundial. A História por mais que a branqueiem não vai esquecer a sua responsabilidade neste acto criminoso.

Ler mais


Recebemosda Associação Portuguesa de Deficientes (APD) o, nas actuais circunstâncias de terror mediático, corajoso comunicado que abaixo transcrevemos na íntegra:

 SOBRE A DECISÃO DISCRIMINATÓRIA DO COMITÉ PARALÍMPICO 

O Comité Paralímpico tomou a insólita e grave decisão de banir os atletas russos e bielorussos com deficiência dos Jogos Paralímpicos Inverno Pequim 2022.

Ler mais


Um projecto de reindustrialização burguês

O thatcherismo, a partir de meados dos anos 70 do século passado, deu a estocada final na hegemonia do sindicalismo economista (em alusão à categoria leninista) europeu e marcou o início da forte desindustrialização da economia do velho continente. Os capitais europeus encontraram força de trabalho disciplinada e baixíssimos salários sobretudo na Ásia, com o contributo determinante da China denguista.

Ler Mais


A pseudo igualdade e liberdade apregoada pela democracia burguesa e os dinheiros da campanha!

Ler


O PARLAMENTO BURGUÊS FALIU!

Ler


Costa e os ingénuos

Ler


Teatro orçamental

Ler


A OUTRA REVOLUÇÃO CULTURAL

Ler


Uma Mudança de Métodos

 Ler


Os detentores do capital representados nos tumultos da luta de classes

 Ler


 Caracterização de um presidente

Ler


 A casa da música dá música aos trabalhadores desafinados

Ler


 O que é que se comemora no dia 25 de Abril?

Ler


Operação Marquês:
a histeria histriónica invade o espaço público

Ler


Correspondências

 Alentejo

 Seca nos Campos, Deserto no Governo

 O apelo de desespero do presidente do Agrupamento de Produtores Pecuários do Campo Branco (APPCB), em Castro Verde, é revelador que a 'sabedoria' do ex-ministro Capoulas Santos não ficou gravada no ministério da agricultura de modo a servir os produtores de pecuária do Baixo Alentejo. Se a situação é insustentável é porque os animais não se encontram nas melhores condições fisiológicas e os produtores nas melhores condições económicas. Nisto o ministério da Agricultura não está isento de responsabilidades, seja por falta de apoios materiais seja pela falta de técnicos no terreno.

 Recordemos as declarações do ex-ministro: "muito tem sido feito para combater a seca" e "programa nacional de barragens que eu tive a honra de lançar em 2017".

Ler mais


Do nosso correspondente em Coimbra recebemos este interessante artigo que agora publicamos:

 Reflexão sobre o proletariado: estudo de caso

Ao longo das últimas décadas, nos países ditos desenvolvidos, temos assistido à exportação das contradições entre o trabalho e o capital. Com a mecanização da produção agrícola, a automatização da produção industrial, e a deslocalização da produção primária para fora das metrópoles, deu-se inevitavelmente também um offshoring significativo do proletariado, para os países periféricos.

Ler mais


 Vale de Cambra - Construção Civil

Mais 4 vítimas operárias da guerra de classes:
Um morto, dois feridos graves e um ligeiro em Vale de Cambra

Ler


Partido

Outros tempos, outros meios, os mesmos soezes intentos

LutaPopular061-19750531O 28 de Maio era a data festiva de todos os reaccionários. Foi no dia 28 de Maio de 1871 que os operários de Paris, juntamente com as suas companheiras e com os filhos agarrando-se às saias das mães, foram fuzilados os últimos resistentes, no muro de Pére Lachaise. Em 28 de Maio de 1896, Lenine sofria o mais rude e o último dos interrogatórios da polícia czarista. No dia 28 de Maio de 1926 todos vós sabeis o que aconteceu... Mas faltava ainda saber que os socialistas em palavras e fascistas nos actos faziam do dia 28 de Maio a grande data dos mata-mouros do marxismo-leninismo, do socialismo científico e do movimento operário português. Falharam redondamente! (Aplausos.)
(Extracto da Alocução do camarada Arnaldo Matos no comício do 18 de Julho de 1975.)

Passam hoje 47 anos sobre a tentativa contra-revolucionária fascista/social-fascista de liquidar o seu inimigo comum, o MRPP. Foi porque se constituiu e afirmou como vanguarda da classe operária e cabeça da luta pela destruição completa do Estado fascista e pela revolução proletária, que o MRPP foi atacado. 

Ler mais


 

Há que entender a natureza das acções e esclarecer as ocultações!

Os trânsfugas do Partido tentam sempre apresentar uma justificação para os seus ataques e deserções, mas, mais tarde ou mais cedo, as suas tentativas de ocultação e embuste vêm sempre ao de cima.

Ler mais


As lições do 25 de Novembro

 O texto que a seguir se publica é o traslado da intervenção do camarada Arnaldo Matos no Encontro Nacional de Quadros e Activistas da FEM-L, na Reitoria da Cidade Universitária, a 6 de Dezembro de 1975. É um interessantíssimo e precioso testemunho dado a pouco mais de uma semana depois dos acontecimentos, muito exactamente documentados, descritos e explicados. Pelo seu elevado valor histórico e científico é muito oportuno vir de novo a público.

Ler mais


 

Não esqueceremos Ribeiro Santos e Alexandrino de Sousa!

  ComitesRibeiroSantosPeloPovoTudoDarPorMelhoresDiasResistenciaRSASOs camaradas José António Ribeiro Santos e José Alexandrino de Sousa foram e são dois inquestionáveis revolucionários, quadros servidores do povo oprimido e trabalhador, e sobretudo, dois comunistas marxistas de primeira água! A esmerada acção destes camaradas, em favor do Partido e da Classe Operária portuguesa reveste-se de uma considerada e singular importância!

Ler mais


Sigamos o Exemplo Revolucionário do
Camarada Alexandrino de Sousa

  Ler


 A Luta de Classes no Partido do Proletariado

Ler


Ensaio

INFLACÇÃO:
PARA O ESTADO BURGUÊS UM IMPOSTO, A SOBREVIVÊNCIA PARA O CAPITAL!

Para os economistas burgueses a inflação tem diversas causas e diversos efeitos conforme sob que aspectos é vista: inflacção de procura, inflacção de custos, inflacção estrutural; inflacção e crescimento económico, efeitos distributivos da inflacção, efeitos da inflacção sobre as empresas e inflacção, a balança de pagamentos e a taxa de câmbio (ver AAVV, A Inflacção, Salvat Editora, 1979).

Mas cientificamente a inflacção resulta tão só duma desordem na produção em contexto de apropriação de mais-valia – e o efeito é o saque que a inflacção proporciona.

Ler mais


AS ARMAS

 São operários que fazem as armas que matam na guerra militares e civis, que destroem edifícios e viaturas, cidades e fábricas, hospitais, museus, escolas e creches, redes de água e de electricidade, árvores e flores, que contaminam solos e aquíferos e empestam o ar com a sua química mortífera.

Ler mais


A vida de um cantoneiro em Portugal!

Este artigo demorou a ser publicado, porque o capitalismo resolveu novamente fazer das suas! O nosso camarada/correspondente do Norte, e entrevistado neste artigo, esteve num total estado de estagnação, ...

Ler mais


Local

 Liberdade de expressão para a burguesia é isto

Em Lisboa e Setúbal tem sido o P“C”P, no Porto o MA“S” e os fascistas, em Braga o P“S”. Desta feita, em Aveiro, o ataque à propaganda do Partido foi levado a cabo pelo PPD/PSD com proveito próprio e dos seus compagnons do P“S”, muito no espírito de bloco central defendido por aquela facção burguesa. O lugar do nosso MUPI era bom e faria “sombra” aos Outdoors deles...

MUPI123

Ler mais


 ComunicadoSinaga202110044Um ataque violento que se abate sobre o movimento operário nos Açores

 

 

ComunicadoSinaga202110043A organização do nosso Partido na Ilha de São Miguel desencadeou hoje uma acção de agitação e propaganda  junto da fábrica de açúcar - Sinaga, com a distribuição de um clarividente comunicado, onde denuncia e retrata os crimes das sucessivas administrações da Sinaga e dos Governos Regionais da burguesia contra a classe operária açoriana, a história do movimento operário nos Açores, como também em relação à memória da indústria açórica, e daqueles que laboraram durante décadas a fio numa das mais importantes unidades fabris em território regional açoriano. Terminada a distribuição às portas da Sinaga, os camaradas António Vital, José Afonso Lourdes e Pedro Leite Pacheco que compunham a brigada, continuaram a sua acção de agitação e propaganda revolucionárias nos arredores da fábrica, onde auscultaram as amplas massas populares, obtendo testemunhos de indignação em resposta ao vil ataque àquela unidade fabril e ao seu património histórico, dizendo que o Governo Regional em conluio com a administração canalha da fábrica, iniciaram a destruição de várias máquinas da Sinaga, muitas dessas com um valor considerável.

Ler mais


Porto

  Como Se Faz Vigarice Chamando-lhe Investimento

SelminhoA vigarice, a especulação imobiliária e a corrupção infestam o nosso país. A autarquia do Porto não foge à regra. O presidente da Câmara, o reizinho Rui Moreira, é arguido no "caso Selminho", que vai a julgamento a Novembro. Moreira assinou uma procuração para a Câmara negociar com a empresa de que também é sócio, num negócio em que a família do autarca ganhava sempre. Um belo exemplo de rectidão e virtude. Este senhor só merece cair, tal como os Berardos, os Vieiras, os Salgados, os banqueiros, os políticos da máfia e do sistema e todos os outros bandidos, essa corja sem nome que rouba o povo.

Ler mais


O garrote monetário

Os últimos garrotados na Península Ibérica foram dois jovens sentenciados por ordem do verdugo Franco em Março de 1974. E houve quem executou a condenação pondo-lhes a garra metálica com que se lhes esmagou o pescoço.

Também com a moeda se condena à morte e também há quem concretize a sentença.

Para o efeito qualquer justificação serve logo que satisfaça quem tem poder de executá-la.

Mas tal como os garrotados em Espanha originaram uma onda de indignação e repúdio dentro e além fronteiras também a iniquidade das coimas desde sempre revoltaram as massas de dentro e de fora do Partido. Lembremo-nos das goradas tentativas fascistas e social-fascistas de silenciar o Luta Popular a seguir a Abril de 1974 com multas de aparato e as perversas coimas com que ultimamente a Entidade de Contas e dos Financiamentos Políticos dá cobertura aos prevaricadores internos e externos e condena o Partido com abusivas e desproporcionadas coimas face à insignificância dos lapsos e valores envolvidos.

Mas é assim que o Estado do capital, hoje totalmente internacionalizado, actua. As monumentais dívidas dos grupos económicos e as irregularidades dos mais poderosos partidos da burguesia têm sucessivas prorrogações ou mesmo a caducidade da obrigação de regulá-las mas para quem pouco tem não há perdão mesmo para com esse pouco contar. É o assalto em toda a linha à única mercadoria que consumida cria riqueza em vez de ser eliminada ou depreciada pelo consumo: a força de trabalho, especialmente de quem só ela lhe reste para sobreviver.

É por isso que toda a lábia do bando pequeno-burguês que sucessivamente tem tomado de assalto o poder em Portugal não passa de santo e senha, ora assumidamente assassina ora de farsante democracia, a adoptar conforme mais favoreça a progressão do capital, a acelerada proletarização e ruína da população e a intimada ocupação do país.

Ler mais


 

Movimento Operário e Sindical

A PESCA E OS PESCADORES
O tempo, o preço e o capital

O tempo, o preço e o capital, são os três problemas maiores da pesca e dos pescadores.

O capital, por esmagar uns e adular e corromper outros.

O preço do peixe, pela incerteza que informa a sua venda em lota.

O tempo, ao permitir ou não permitir condições para a pesca.

Ler mais


Castro Verde – mina Neves-Corvo

“Dantes usava-se um canário numa mina,
agora usa-se um jogador de futebol”

NevesCorvoÉ este o desabafo de revolta de um operário perante a evidência do agravamento progressivo das condições de segurança que os mineiros são obrigados a suportar.

Em 26 de Junho de 2015 foi uma plataforma elevatória na lavaria de zinco que “se virou” e arrastou para a morte o Tiago Gonçalves de 27 anos e um outro camarada para o hospital, em 26 de Setembro de 2020 foi uma derrocada que levou o Sérgio Delfino de 44 anos e, ao mesmo tempo, criou 2 novos órfãos; em 30 de Março foi a vez dos gases venenosos e do Filipe Venâncio. Os bombeiros bem tentaram trazê-lo à vida, mas não conseguiram.

Ler mais


POR UMA DIRECÇÃO COMUNISTA NA LUTA DOS TRABALHADORES DA GROUNDFORCE!

GroundForceGreveOs empresários públicos e privados exigem mais-valia no negócio da compra da força de trabalho dos operadores aeroportuários impondo ressarcirem-se do investimento com o dinheiro publicamente sancionado pelo Estado burguês.

Pelo seu lado os trabalhadores aeroportuários lutam pela segurança de vida e pelo pão para a boca em troca da sua prestação profissional.

A tão falada quanto equivocada mais-valia nada mais é do que horas de trabalho não pagas pelo salário recebido pelo trabalhador em troca da sua força de trabalho alienada ao empresário.

Ler mais


Volkswagen Autoeuropa - Palmela

UM MUNDO NOVO NÓS OPOMOS AO MUNDO PARASITÁRIO!

AutoeuropaO tempo do escravo é o tempo do senhor: deve totalmente vida e morte o escravo ao senhor.

A revolução burguesa abole a propriedade privada dos produtos do trabalho pessoal e transforma a força de trabalho em mercadoria que o detentor põe à vendapara a compra do que precisa para sobreviver.

Face a face são aparentemente ambos livres, vendedor e comprador da força de trabalho – não fora este ter o monopólio dos meios de produção e aquele destituído de outros bens transaccionáveis para além da sua força de trabalho!

Ler mais


IBERODYE - Vila do Conde

52 TRABALHADORES ATIRADOS PARA O DESEMPREGO"ESPERO QUE O MINISTÉRIO PÚBLICO INVESTIGUE"

Ler mais


 Eurest

Portugal – uma terra de oportunidades para os oportunistas

Ler


LASA – Guimarães

Trabalhar na terça de Carnaval?!! Porquê?

Ler


Como se Faz a Transição Energética em Tempos de Pandemia e Confinamento

Ler


A Luta dos Mineiros da Panasqueira

Ler


 TAP: uma “reestruturação” sem surpresas!

Ler


Luta – Unidade – Vitória

Contexto económico, político e social

 Ler

Partido

De plagiador compulsivo a ladrão intelectual – eis o perfil de Luís Júdice

Como é do conhecimento recente dos nossos leitores, a redacção do Luta Popular on Line denunciou publicamente e veementemente a conduta e os abusos do seu ex-redactor-chefe, Luís Júdice, pelo facto de se apropriar de textos e partes de textos de outros autores, assinando os mesmos como da sua lavra/autoria, nomeadamente, os que estão publicados no Webmagazin "Les 7 du Québec”.

No contexto dessa honrosa tomada de posição pela redacção do nosso jornal, a agonia de Luís Júdice foi de extrema notoriedade, ao tentar desesperadamente inverter os factos, procurando encontrar justificações totalmente surreais, absurdas e ausentes de qualquer base de sustentação minimamente credível!

Ler mais


 

Pela Boca Morre o Peixe

O povo tem uma expressão “Pela boca morre o peixe” que se adequa perfeitamente à tentativa de Júdice para justificar o injustificável, ou seja, o seu  “método e arte” de produção de textos.

Na verdade, não conseguindo negar a cópia/plágios de textos (não há como fazê-lo – os textos copiados existem para o confrontar) vem agora, pelas suas próprias palavras, e numa tentativa desesperada, assumir que copiou aquele e outros textos como, por exemplo,  parte do texto: Irão: um assassinato prenunciador da guerra imperialista!, argumentando de forma ardilosa e conscientemente omissa que não assinou o texto sozinho! E aqui está mais um traço da sua  desonestidade intelectual! É ele próprio que destrói a imagem de grande intelectual e ideólogo que laboriosamente quis aparentar.

Ler mais


 

A desonestidade intelectual é um traço que define o carácter dos oportunistas

Muitos leitores nos têm questionado sobre a razão pela qual o Luta Popular deixou de publicar artigos do ex-redactor Luís Júdice.

Ler mais


Recebemos de um nosso leitor e antigo militante da RPAC quando esta organização de soldados actuou nos quartéis contra a guerra colonial-fascista, a oferta deste poema, escrito em Fevereiro de 2019:

Homenagem a Arnaldo Matos

A morte não é o fim
Não se matam pensamentos vivos
A dor fisica passa a cada vez
Numa vida longa de combate
Carregar a dor de tantos é cruel
É o caminho do marxismo
De quem não recusa dar mais
Ver os proletários no seu lugar
Que pensar é revolucionar
Ver mais longe é avançar
Que lutar é ousar
Não seria eu, não seria digno
A ver a dor e sangue ao meu lado!

Alberto de Sousa
Fevereiro/2019

Notícias da evocação do camarada Arnaldo Matos

Nos passados dias 21 e 22 deste mês, no Porto, na Gafanha da Nazaré, em Lisboa e um pouco por todo o país, os militantes e simpatizantes do Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP) evocaram  camarada Arnaldo Matos pelo estudo e pela discussão de documentos que o camarada nos deixou, especialmente o importantíssimo discurso e sequente debate no 1.º de Maio Vermelho de 2018.

20210222Porto6

Presencialmente ou por vídeo-conferência, em reuniões alargadas ou isoladamente, os camaradas pegaram em aspectos da obra do camarada, particularmente aqueles que consideraram mais pertinentes para a acção de cada organismo, que estudaram e, quando colectivamente discutiram, com o ânimo próprio de quem luta pela instauração do modo de produção comunista.

A  principal alocução proferida no Porto, nesse propósito a 21 de Fevereiro e em nome do Comité Distrital do Porto, transcrevemo-la aqui, na íntegra:

Ler mais


 

O Marxismo é a nossa Estratégia


Evocar o Camarada Arnaldo Matos

Passam, na próxima segunda-feira, dia 22 de Fevereiro, dois anos após o desaparecimento físico do camarada Arnaldo Matos.

Na impossibilidade de uma homenagem presencial, o Comité Central, conclama todos os militantes e simpatizantes para, de uma forma organizada (como já está a acontecer) ou, se tal não for possível, individualmente, estudarem e discutirem os documentos que o camarada nos deixou, com destaque para a importantíssima intervenção no 1.º de Maio de 2018, que se constitui como um verdadeiro programa para o Partido e para o movimento comunista, apontando o Marxismo como a nossa estratégia, ao mesmo tempo que releva a necessidade de se fazer uma reflexão sobre os erros cometidos durante os processos revolucionários de 1917 e 1949, como condição essencial para rejeitar de forma fundamentada e determinada a ideia da inviabilidade da sociedade comunista, provando simultaneamente que sociedade da democracia capitalista liberal não é “o estádio final do processo histórico”, como os ideólogos do capitalismo pretendem vender.

Contudo, a verdadeira homenagem, a autêntica celebração só adquire significado se se transformar em movimento, em acção, em prática.

A verdadeira evocação ao camarada é feita diariamente no trabalho e na luta pelo reforço organizativo do Partido, pelo seu alargamento, pelo contacto com as massas, pela divulgação dos estudos, análises e reflexões, objectivo que o Comité Central tomou em mãos, dando continuidade a essa divulgação no Luta Popular online e com o lançamento da colecção dos Cadernos Arnaldo Matos.

Ler mais

FOTOCamArnaldoMatosEXPRESSO3CPoema


 

O fascismo do PS de Costa não é de hoje. O camarada Arnaldo Matos já o havia denunciado mal os primeiros traços do mesmo se manifestaram da pior maneira, no governo anterior, como a sequência de tuítes, que agora republicamos no Luta Popular, demonstra.


O PS no Poder é a Reacção no Poder!

É preciso dizê-lo sem medo, com a coragem necessária e com todas as letras: o Primeiro-Ministro António Costa e o governo do PS a que preside são um coio de reaccionários fascistas, da mesma natureza de Salazar e de Caetano.

Tal como Salazar e Caetano nos seus tempos, Costa e o seu governo, enviaram na última quinta-feira, e lá a mantiveram na sexta-feira e hoje sábado, um corpo da Polícia de Choque, para pôr termo a uma greve dos estivadores precários do Porto de Setúbal.

Ler mais

Está em... Home