CampanhaFundos202206

IBAN PT50003502020003702663054   NIB 003502020003702663054

26 de Maio de 2024

Nota à Imprensa

PCTP/MRPP informa a sua posição sobre o Serviço Militar Obrigatório no momento presente

Lisboa, 29/04/2024

O Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP) considera, e sempre considerou, que a defesa do país compete a todos os cidadãos e não a um grupo de mercenários mesmo que este se designe por Forças Armadas Portuguesas pelo que propugna a prestação, por todos os cidadãos, de Serviço Militar durante um dado período de tempo a definir que lhes permita aprender as perícias militares para, em caso de ataque ao nosso país ou o seu bem-estar se torne impossível, se mobilizem rapidamente para, consoante o caso, repelir esse ataque ou instaurar o bem-estar popular.

Sobre o mesmo tema, o PCTP/MRPP reafirma hoje o que o camarada Arnaldo Matos referia já em 2016:

As Forças Armadas, de portuguesas, só têm o nome. As Forças Armadas ditas portuguesas são hoje um grupo de mercenários, lacaios do imperialismo americano, francês e alemão.

Todas estas tropas mercenárias deviam recolher a Penates, para serem imediatamente desmobilizadas.

Os portugueses não podem nem têm de pagar tropas para defender os interesses do imperialismo, precisamente aquele mesmo imperialismo que também explora o nosso povo em Portugal, nas fábricas que já não são nossas, mas francesas, inglesas, suecas e alemãs, nos bancos que são espanhóis, nos mares que já só falam castelhano.

Ler mais 

Estado em Degradação Política Reprime Violentamente Manifestações Pacíficas de Apoio à Palestina

À volta de 100 estudantes ocuparam durante cerca de uma semana as instalações do departamento de Ciências e Computadores da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, em favor da causa palestiniana. Eles exigem o fim das relações da UP com o Estado de Israel, face ao genocídio de Gaza. Por isso, entoaram palavras de ordem como "Solidariedade Proletária por uma Palestina Livre", "Israel não é uma democracia, Israel é um país terrorista" e "A Revolução começa aqui". Cânticos revolucionários, portanto.

Ler mais


O fascista ventura Afinal É Tão ou Mais Corrupto Que os Outros

André ventura, o nazizinho, campeão da honestidade e da luta contra a corrupção, ao fim de contas, é, comprovadamente, corrupto.

Em 2014, o bom do ventura assinou um parecer, enquanto inspector da Autoridade Tributária, que contribuiu para isentar uma empresa de Lalanda e Castro, ex-patrão de José Sócrates, do pagamento de 1,8 milhões de euros de IVA. Este caso foi investigado no âmbito do processo dos "Vistos Gold", por suspeitas de favorecimento de Lalanda e Castro, que também está referenciado na Operação Marquês e é acusado de corrupção no processo Máfia do Sangue. O andré ventura que serviu de peão na manobra de evasão fiscal de Lalanda e Castro é o mesmo histérico ventura que demoniza todos os beneficiários do RSI, incluindo crianças.

Ler mais

Manifestação Contra o Encerramento Nocturno da Urgência Pediátrica do CH Tondela - Viseu/ULS Viseu Dão - 1 de Junho

Para os partidos da burguesia, nada como campanhas eleitorais, oficiais ou não, para em palavras tudo resolver, mas chegados ao poder, o caso fia mais fino…

Num país que chora a baixa natalidade, a “solução” dos governos burgueses (o anterior e o presente) para o problema é encerrar maternidades e urgências pediátricas, primeiro aos fins-de-semana à noite, depois toda a semana à noite e depois, dia sim dia não, etc..

A propósito de mais um caso, o encerramento nocturno do serviço de Urgência Pediátrica do Centro Hospitalar Tondela - Viseu / Unidade Local de Saúde Viseu Dão Lafões, recebemos de uma cidadã mobilizada para a luta a Carta Aberta que abaixo publicamos na íntegra

Carta Aberta

O serviço de Urgência Pediátrica do Centro Hospitalar Tondela - Viseu / Unidade Local de Saúde Viseu Dão Lafões começou a encerrar, de sexta a segunda-feira, durante o período noturno, em março.

Ler mais

CORRESPONDÊNCIAS

Alentejo - Seca nos campos, deserto no governo

Alentejo

Seca nos Campos, Deserto no Governo

O apelo de desespero do presidente do Agrupamento de Produtores Pecuários do Campo Branco (APPCB), em Castro Verde, é revelador que a 'sabedoria' do ex-ministro Capoulas Santos não ficou gravada no ministério da agricultura de modo a servir os produtores de pecuária do Baixo Alentejo. Se a situação é insustentável é porque os animais não se encontram nas melhores condições fisiológicas e os produtores nas melhores condições económicas. Nisto o ministério da Agricultura não está isento de responsabilidades, seja por falta de apoios materiais seja pela falta de técnicos no terreno.

Recordemos as declarações do ex-ministro: "muito tem sido feito para combater a seca" e "programa nacional de barragens que eu tive a honra de lançar em 2017".

Às pastagens falta-lhes irrigação adequada e conveniente arborização. Obras importantes de hidráulica não foram feitas e na impossibilidade destas se fazerem por causa do tipo de terrenos, os agricultores/produtores têm que ter meios logísticos adequados. Os agricultores/produtores devem ter nas suas instalações capacidade para produzir as suas próprias rações para animais, capacidade de armazenamento para não dependerem de terceiros originando aumentos das despesas. Os agricultores/produtores devem receber apoios para que de uma forma natural, enriqueçam com minerais os solos das pastagens e das parcelas de terrenos destinadas à produção de rações.

Se os factores de produção aumentaram dando o exemplo do gás natural que está envolvido em mais de 50% na produção de energia eléctrica isto deve-se a uma alegada "união europeia" que em vez de negociar a paz para fazer cair os preços da energia negoceia a guerra.

Muitas barragens e pequenas reservas de água começaram a ser construídas nos anos 90 do século passado no Alentejo.

O que se assiste desde 2017 é que os terrenos no Baixo Alentejo que deveriam estar neste momento a ser utilizados para a cultura do milho, da beterraba (que tanto o gado bovino gosta), do trigo, do sorgo, da fava, da ervilha e da batata comum, estão a ser utilizados para olival intensivo.

É hora de uma vez por todas de pôr um travão na expansão do olival intensivo porque não é só o gado bovino, caprino e ovino e animais de capoeira que precisa de mais alimentos disponíveis a preços acessíveis, as pessoas também!

A herança de Capoulas Santos e o trabalho dos dois deputados eleitos pelo PS no passado “não se nota” no Campo Branco, muito pelo contrário.

Sobre deputados eleitos pelo PS, não é expectável que pessoas habituadas a estarem sentadas em gabinetes como ex-autarcas 'carreiristas' da política tenham a capacidade de dar a volta a este problema crónico e, já agora, nem o primeiro-ministro, porque por estes tempos diz que está às ordens da NATO e anda a utilizar os meios e equipamentos de defesa do Estado para fazer doações, enriquecendo o seu currículo e assim conseguir uma autopromoção no estrangeiro para quando deixar o governo ter um tacho, ou, no seu caso, uma cataplana à sua espera.

As associações de produtores de gado também precisam de algumas doações para socorrer os associados ou contribuir para o bem-estar animal, seja essa doação uma enfardadeira, um tractor com carregador frontal ou depósitos de água porque nem todos os agricultores têm as mesmas posses.

31Mai2022

CP, correspondente no Alentejo

pctpmrpp

Partilhar
Está em... Home Dar Voz a Quem Não Tem Voz Alentejo - Seca nos campos, deserto no governo